Pular para o conteúdo principal

Destaques

Em desenvolvimento - aceitação

Essa sou eu, recentemente. Só Deus sabe quantas vezes tentei tirar uma foto que ficasse bem boa pra mostrar meu trabalhinho de 3 meses e pouco. Sim, eu fiz essa beldade de vestido e depois que coloquei, tirei horas depois porque tinha mesmo. Não ia dormir com ele... Enfim. Vamos falar sobre o meu período de aceitação. Aceitar que sou mignon e que tem poucas roupas que vão caber em mim sem precisar fazer um ajuste aqui e ali. E você, lendo isso, pode achar que é besteira, mas não é não. Esse período começou há um tempo e tem seus momentos de altos e baixos. Por muito tempo não me importei com isso, pra falar a verdade. Foi mesmo após meus 16 anos que comecei a prestar mais atenção e ver que sou magrela mesmo. Por anos, com meus 1,62 m de altura, sempre pesei 47 kg, com suas idas e vindas. Já cheguei nos 39 kg, numa época ruim da minha vida e cá estou eu esbelta com uns 45 kg. Meu sonho é chegar nos 50 kg e manter, hahaha. Mas como com um metabolismo doido que eu tenho? Minha mãe sempre

Uma semana de quarentena

Passei nove dias de quarentena, saindo de casa para comprar o básico para passar essa semana com distrações. E como foram esses dias? Saí literalmente de toda a rotina possível e imaginável que eu teria.

Imagem de CDC, em Unsplash.

Não imaginei que seria assim. Eu tinha até traçado um plano para o que eu queria fazer enquanto tivesse todas essas horas a mais livre. E o que eu fiz? Nem 10% do que eu teria imaginado. Acredito que parte de tudo isso é que tinha muito tempo pra mim e não tinha muito o que fazer para o próximo. Isso faz toda a diferença na minha vida.

Quando estou trabalhando, estou ali por três motivos: dar o meu melhor para que Deus seja glorificado no meu trabalho, trabalhar para ajudar o outro a cumprir com o seu objetivo, trabalhar para ter o meu sustento financeiro. Estão aí as três em ordem de importância. Quando estou em casa, eu sinto que os três estão presentes, mas não da maneira que eu gostaria.

Você, que está em casa e não pode sair (amanhã, 06/04/2020, eu volto para a minha rotina empresarial), não se sinta sozinha, abandonada, sem muitas coisas pra fazer. O que eu pude sentir nesses dias foi o cuidado de Deus na minha saúde. Comecei a notar coisas em mim que num dia a dia corrido, e até mesmo nas minhas férias na casa dos meus pais, não tinha notado ainda. E esses são motivos para que eu tente mudar um pouco essa parte que não gostei de maneira nenhuma em mim.

Que Deus esteja conosco em todos os nossos momentos, sejam eles melhores ou piores. Que estejamos sempre atentas ao ouvir da Sua palavra e à sua mensagem. Que em quarentena ou não possamos estar juntos sempre com o propósito de amor ao próximo.

#FiqueEmCasa

Abraços!

Comentários

Postagens mais visitadas